Technorati Profile
O demo me leve
domingo, janeiro 29, 2006
  O meu pai
O meu pai é um home bom.
O meu pai tem tempo para todo o mundo.
O meu pai nom quere agasalhos nas festas.
O meu pai tem o coraçom d'ouro e os ossos de cristal.
O meu pai sorrí sempre, só o vim chorar umha vez.
O meu pai quita a gravata a trinta de junho e a anuda em setembro.
O meu pai gosta dos doces, e um esperto en roscons.
O meu pai tem o nariz torcido, pero os olhos luzentes.
O meu pai sauda ò dia passando o ferro.
O meu pai cumpre hoje 53 anos.

 
  De Miguel e as FAES marcando estilo....

A "Asociación para el analisis y los estudios sociales" (FAES) (sic)(Paga a pena fedelhar um pouco pola pagina... se tes os antiazedos perto), criada por Aznar nos derradeiros estetores do seu governo e que agora preside, vem de publicar umha nova tirada dos seus "Cuadernos de pensamiento (sic) político". Que inclue "maravilhas" e pérolas para marcares as linhas ideológicas do PP. Entre elas umha levantou muito ruido nos últimos dias: "La 'violencia de genero' y otras iniquidades" de Armando de Miguel (Coidado! Nom premer na ligaçom sem fazer antes um pouco de meditaçom e acougar a ialma..), de todos conhecido por seres um dos poucos defensores da cada mais ameaçada lingoa castelam perantes esses malvados nacionalistas. Desta vez retoma um tema no que já deijara claro a sua postura no incidente coa Directora Geral da Mulher da comunidade de Madrid.

O "sociologo" ultraderechista "argumenta" (vou gastar as aspas..) que o acrecente número de parelhas de feito e unioms sem "matrimonio legal" traera um aumento da violência contra a mulher. Se a isto sumamos as últimas declaraçons do home pequecho... Com toda sinceridade, digam-lhe ao camelho desta gente que lhes passe melhor material, que lhes esta fazendo muito dano.

(Se alguem topa onde ler o artigo melhor, que só falo por referências...)
 
sexta-feira, janeiro 27, 2006
  Equaçons fundamentais e meditaçom
Hoje foi um dia de descanso. Desses que passam amodinho, e nom se pensa muito.

Onte rematei com toda a teoria de Termo e precisava acougar a mente. Nom se pode dar o cento per cento todo o tempo, se o fizesse tolearia. Marchei cedo, a isso da umha, da biblioteca cumha sensaçom rara na cabeça, a meias derrengado e relaxado. A impressom era semelhante à que tes quando voltas a casa depois de fazer deporte, duchas-te e depois sentas e nom fazes rem. Era esse estado da mente que persego quando forço um pouco o corpo e canso-me adrede, ou a que acado depois da hora de Tai-Chi-Chuan. Tenho a certeza de que o a concentraçom que precisa o trabalho matemático ao que o cérebro tem que acostumar-se, e que é-che-vos de todo menos natural, fai que um entre num estado alterado da consciência semelhante ao da meditaçom à vez moi diferente. A mente cansa-se ao pouco tempo e perdes a concentraçom, disque Gauss era quem de manter esse estado durante dias, só pensando no problema que queria resolver.

Com essa ideia marchei da biblio e acostei-me, esgotado. À manhancinha erguim-me tarde (às onze ;) ), almorcei ligeiro e figem tarefas da casa. Quando rematei de aquelar o banho e a cozinha saim a mercar e dar um passeio ate o Obradoiro, ainda que ia um frio... . Passei a tarde a ler "Viaje al oeste", que fazia semanas que nom tocava, acompanhado dum bo té, e rematei de pôr em ordem a casa. Todo isto sem pensar em nada em particular, coma se faze-lo fosse algo estranho, alienígena: Nem Termo, nem política, nem ela... . Hoje a Terra poderia ter desaparecido sob os meus pés, e eu seguiria a beber pracidamento da minha taça...
 
quinta-feira, janeiro 26, 2006
  Bebidas energéticas
26 de Janeiro e já estou esgotado... Energias a mim...!

(Imagem tomada do tovarich Gatonegro)
 
  Ano Boltzmann
Neste ano 2006 cumprem-se cem anos do passamento (voluntário) de Ludwing Boltzmann. Um dos pais da Física Teórica e o criador da Mecânica Estatística.

Umha mente genial que aportou à Humanidade descobrimentos de tal preço que ainda hoje os científicos nom digerirom toda a sua obra. Plank, Einsten e outros grandes homes de ciência reconherom a influência do seu magno trabalho. E também divulgou a Ciência com artigos moi acessíveis e amenos. Foi o gram defessor da teoria atomista e da filosofia materialista.

Hoje na Facultade tivemos umha pequena conferência com apontos biográficos para dar saida a um ciclo sobre a sua vida e trabalho.
 
quarta-feira, janeiro 25, 2006
  Primeira Junta apostática
Colo a convocatoria da junta apostática feita em Arredemo! Ali tedes que estar!

A proposta do foro máis rebuldeiro de Arredemo, queda convocada, con carácter máis definitorio que definitivo, a primeira xuntanza apostática, onde se tratará da organización dunha marcha polo Camiño de Santiago, na vindeira Semana Santa, co fin de facer entrega no arcebispado compostelano de varios centos de solicitudes de apostasía, para que os nomes e apelidos dos solicitantes -calquera que non se sinta parte da multinacional Igrexa Católica S.L.- sexan borrados das "bases de datos" da sacrosanta empresa e deixen de contribuir deste xeito ás súas estratexias publicitarias, á súa liturxia social e aos seus obxectivos político-económicos.

A data proposta é o Sábado 4 de Febreiro de 2006 no local da Burla Negra en Santiago (Santa Clara 21, 1º), a partir das cinco do serán. A convocatoria é aberta a persoas de toda condición, relixiosa ou non.

Calquera proposta de modificación da data, a hora ou o lugar pode ser indicada no propio foro apostático. Solicítase facer correr esta información pola rede, especialmente entre os colectivos sociais, para que quen se queira sumar o poda facer a tempo.

Forza e Saúde

 
  Si "Tu es Petrus" q'o demo me leve...
Sempre que fala o papa dos católicos lembro-me das primeiras estrofes do poema de Curros que dai nome a esta blogue...

(Deus fita ao mundo e topa co Papa)

Debéu d'a atopalo,
S'o conto non mente,

Porqu' él d' ali á pouco
Quedóu com' a neve,
C'os ollos crabados
Que espantan e feren,
N'un bulto qu' iñoro
S' é de' home ou de verme.
Miróuno dispacio
E viu qu' era un ventre
C'oas sedas vestido
Máis ricas d' Oriente.
N'un sólio sentado
Qu' envidian os reises
Y-en capa revolto

De tépedas peles,
Ceibando saudabres
Arrotos d' henchente,
D'a terra, sua escrava,
Recoll' os presentes;
E si hay algun louco
Que, pobre ou rebelde,
Diñeiro non teña
Y-a dárllo se negue,
O ventre que, mudo,
Falar sabe as veces,
Con sólo que diga:
«¡Pauliña n'o herexe!»
O herexe é borrado
D'a lista d'a xente.
Mirand' este monstro,
Dios dixo entre dentes:
—Bah, bah!... Si «tu es Petrus,»
Q' o demo me leve.
 
terça-feira, janeiro 24, 2006
  Doutro lado do mar chegarom...

Conciso, sucinto, fino e assisado o editorial do NY Times sobre o "Caso Mena".

(Merda! Onte a ligaçom era livre, seica só as editorias do dia o som...)
 
segunda-feira, janeiro 23, 2006
  Dia estranho
Hoje foi um dia raro, desses nos que nom tenho nada que contar-vos.
E nom só estranho polo valeiro de ideias ou de anedotas, também polas sensaçons que experimento. Tenho no corpo duas sensaçons, umha de movemento e outra de "stand by". O meu estado interior tem duas variaveis:
1a. A cabeça trabalhando a "filespin". Estudando todo o dia, sem tempo para fazer outra cousa.
2a. O coraçom em hibernaçom, agardando um sinal que nom chega.

Parece que trabalho em binario pois o outro estado que conheço é:
1b. A cabeça em modo automático.
2b. Os sentimentos ao cento por cento.

Terei umha senda meia?


 
sábado, janeiro 21, 2006
  Os raios catódicos
Onte tivem a prática dos raios catódicos em Quântica. Mui gráfica e "clássica", mais quanto tés que fazê-la ti só a cousa comprica-se. O meu companheiro deu baixa no laboratório e o professor esqueceu-se de designar-me um novo. Ainda assim tardei pouco en fazê-la, que os físicos somos mui rabudos e non creríades a discussons que se escuitam no laboratorio! Todos parecem catedráticos! :S

Hoje apetece-me falar-vos da história desde fenómeno.

As primeiras observaçons de raios catódicos dérom-se no interior dos tubos de Geissler. Os tubos de Geissler empregavam-se para estudares as descargas eléctricas em gases. As lâmpadas fluorescentes de hoje som as aplicaçons práticas desse instrumento científico. Na metade do século XIX a natureza da electricidade protagonizava quase todas as controvérsias dos físicos, chegando algúns às maos ;). Este novo fenómeno avivou a contenda: Nom foi ate 1895 quando J.Perrin amosou que tinham carga eléctrica negativa, empregando um tubo de raios inventado por ele (O mesmo que empregamos nas práticas): Pintou com material fosforescente o interior da cara anodica do tubo, que emitiam luz (verde) ao ser impactada polos raios. Enquanto Varley e Crookes demostrarom que em presença dum campo magnético os raios mudavam a trajectória....

...Já que saem estes dous machotinhos tenho que contar-vos outro dia um pouco da sua vida: Dous científicos respeitáveis, um deles (Varley) co-inventor do telégrafo, e dá-lhes por investigar fenómenos paranormais na Inglaterra do século XIX (Mui Vitoriano isso sim) e inventar trebelhos para medir auras (:P).... E contar que a mulher de Varley deixou-no por telegrafo -isso e ter má hóstia- para casar com Ion Pedicaris o protagonizar o "Escandalo Pedicaris" levado ao ecran no filme "The Wind and the Lion" (Com Sean Connery)... Isto já parece "Salsa Rosa" ;) ...

... Como dizia Varley e Crookes observárom que os raios eram afectados por campos magnéticos, mais outro experimento de H. Hertz negou este fenómeno. A prensa (científica e política) inglesa e germana metêrom-se numha liorta do copom, cada um levando a besta cara sua corte. Nalgúns encontros científicos houvo liortas e feridos... :S (Que brutinhos che me eram estos científicos victorianos...). Resultou que os tubos de Hertz tinham umha falha de fabricaçom e o gás residual ionizado influía no seu resultado.



Depois de todas estas perrenchas acientíficas, Hertz expujo a hipótese da natureza corpuscular do electrom (1892) ao descobrir que os raios atravessavam pequenas lâminas de metal ou de papel. E ademais tinham que ser muito mais pequenos que os átomos conhecidos! Pois atravessavam a materia... Foi umha das primeiras provas de partículas subatómicas! Em umha época na que a so a ideia da teoria atómica era só umha hipótese. A experiência de Herzt foi questionada cinco anos.

Hoje sabe-se que os raios catódicos som os eléctrons que se desligam dos átomos do cátodo e impactam no ánodo. Desprendem-se por duas razons principais: As "quentes" e as "mornas". Um ejemplo de quente é se fazemos passar umha corrente por umha espira de volfrâmio** o que excita os átomos do material que ganham energia e perdem essos eléctrons. Um de morno é fazer incidir um pulso laser sobre um metal o que tem o mesmo efeito: os electróns excitam-se e perdem a conexom com seu átomo. Depois uma "porta" (Um electrodo extractor) acelera os eléctrons e os precipita no ánodo.

Em 1897 J.J. Thomsom desenha umha experiência genial que lhe permitiu medir o quociente carga/massa dos "raios" (dos electróns que o formam). El foi quem presentou a teoria formal dum corpusculo para a su conformaçom. Logo Stoney daria-lhe nome: ηλεκτρον (elektron, electrom).

**(Mui mal por o Estraviz!:
Volfrâmio s. m. Óxido de tungsténio natural, elemento químico número 74 da classificaçom periódica, muito duro, dificilmente fusível, usado na fabricaçom de aços especiais, filamentos para lâmpadas eléctricas [al. Wolfram].

Tungsténio (Tungsteno em castelam) e un anglicismo horrível!! )


 
  Animalinhos...

Falouse muito do veste de Scarlett Johansson na entrega dos Globos d'ouro. Sem dúvida é umha das mulheres mais belas no mundo, e umha das mais sensuais. Pero isso nom justifica comentarios coma os que se podem ler em umha blogue da TV pequeno-imperial T5 (propiedade do feixista de sorriso plástico Berlusconni). Nom adoito comentar nesses circulos de hormonas mais esta vez ... julgade por vós mesmos...

(Hum, oportunidade de ver-me escrever em castelam. Decateime de que já perdim o costume... ;) )
 
sexta-feira, janeiro 20, 2006
  Semelhanças, diferenças, átomos e planetas...

É incrível os muitos caminhos que pode tomar a mente humana para empregares umha mesma ideia. A relatividade e a teoría nuclear que permitirom achar a energia nuclear som verdadeiras mostras de ate onde pode chegar o génio humano.

Bem empregadas podem levarnos às estrelas, coma a missom New Horizons da NASA, que emprega uns 11 quilograma de plutónio para gerar energia por efeito da sua descomposiçom natural. A nave empregará 10 anos em chegar a Plutom e logo continuará ate a Cintura de Kuiper-Edgeworth (Ainda que eiquí entramos na discussom de sempre, se Plutom é um planeta o namais um corpo grande do sistema de Kuiper...), chegando mais distância que qualquer outro engenio humano. A sua beleza é incrivel. E digo beleza pois isso é, coma define o Estraviz:" Conjunto de qualidades que, manifestadas de maneira sensível, comunicam um deleite espiritual ou um sentimento de admiraçom. "

Noutro lado da energia nuclear estam as palavras de Chirac defendendo ca França poida empregar o seus arsenais nucleares em defesa a um ataque terrorista. Umha ameaça vacua e perigosa nos tempos nos que vivimos. As armas nucleares som o exemplo de qua Ciência pode, quando somete-se aos desexos dos políticos, criar frutos velenosos.

(Noutras cousas, debecia* por veres "Brokeback Mountain" pero quando chegamos ao cinema topamos com umha quenda que chegaba à rua. Agardamos mais já venderam tudos os bilhetes. Irei manhá, sosinho isso sim, que este finde nom queda ninguem)

(Umha preguntinha... é "debecer" ou "devecer"? :S)

 
quinta-feira, janeiro 19, 2006
  Duas maus esquerdas...
Meeerda! Que parvo som!
Tinha escrito a terceira mensagem sobre o tema da Teoria Holográfica e nom gardara rascunho, trabuquei-me e pechei o navegador... No finde terei que rescreve-lo.

Ainda assim estou relaxado de mais para ter um cabreo por isso. Depois de Tai-Chi-Chuan sempre estou que me podem passar por riba e nom digo rem. Ainda que hoje comprovei que tenho duas maus esquerdas, ao trabalhar co Jô (O pau este de catro pés empregado muito nas artes marciais), nom sacei um olho de sorte...


Bo! Prefiro ter-vos duas esquerdas que tudas dereitas -ou de dereitas- coma algúns tipinhos do tipo: Bono, Ibarra ou o Alcalde de Salamanca. E sobre este último, Como umha cidade tam bonita (No meio dumha chaira horrivel..) e da que gardo tam bom recordo pode ter um alcalde tam paifoco (Ainda que pra gi-li-po-lhas con tudas as letras estos) e uns cidadáns que o apoiam? Ainda que nom tudos...

Pero o melhor, sem dúvida este é o comentario do dia: O_O já tinhamos saudade deste hominho pequecho...

(A tudo isto, alguem mais aperceveu o novo look de Acebes? Ai raparigas! Nom me neguedes que com esses oculos ganha muuuuito XD )
 
  Chopsuei para doze...
Gosto de ser anfitriom, e quanta mais gente melhor.
Onte forom doze pessoas (Quatro as raparigas, Loreninha, Manoel e Sheila e nolos cinco) a meteres numha mesa de oito (Ainda que co quentes que andam estes rapazes nom lhes importou muito a falha de espaço...)

De primeiro umha ensalada de tomate ovo e queijo , logo um chopsuei "made in feito na casa" (tudo natural, nada de precocinhados) e de postre dous pasteis que trouxerom para o cumpre de Sheila.

E hoje por a manhá a limpar a louça (Um pesadelo de cocinha, pena de nom tirar-lhe umha foto...)
 
quarta-feira, janeiro 18, 2006
  Apostatade que nom fai dano!!

Fala-se em Arredemo dumha acçom de apostasia. E umha moi boa ideia!
Eu já figem (Vai um ano!!) e quedei coma deus... ;)

(E compre lembrar a campanha da Va-Ca...)
 
  Don't believe a word
Don't believe me if I tell you,
not a word of this is true.
Don't believe me if I tell you,
especially if I tell you that I'm in love with you.

Don't believe me if I tell you
that I wrote this song for you.
There just might be some other silly, pretty girl
I'm singing it to.

Don't believe a word,
'cause words are only spoken.
And a heart is like a promise,
meant to be broken.

Don't believe a word,
for words can tell lies.
And lies are no comfort
when there's tears in your eyes.

Don't believe me if I tell you,
not a word of this is true.
Don't believe me if I tell you,
especially if I tell you that I'm in love with you.

Don't believe a word.
Lord, don't believe a word.
Don't believe me, don't believe me.
Oh, not a single word.
Oh, yeah.

(Gary Moore, ou Thin Lizzy, agora nom sei de quem é o original)

Já tardei...
 
terça-feira, janeiro 17, 2006
  Tenhem-me o corpo neghro...









Quatro horas no laboratorio fazendo umha prática de Quântica.(A comprovaçom da Lei de Stefan para a Radiaçom do Corpo Negro)

Quatro horas agardando a que o calefactor dos colhons decida ficar quedo e dar umha leitura constante.

Quatro horas na que nom estudei rem.

Quatro horas a sufrires a falha de material da USC., que nom inverte um peso na docença,

Quatro horas a aturares a ineptitude dos profesores desta Universidade, que lhes importa umha merda que alguem aprenda algo.

E o pior de tudo: Quatro horas na que, coitadinho e parvo que som, lembrei-me dela. Esquezendo a promessa feita de deixar o tema parcado ate depois dos exames.

Nom ocupar a cabeça tudo o tempo fai-me pensar estas cousas, assim que já mesmo vou durmir e manhá a trabalhar a reo.

E isso que manhá é quando convidamos às raparigas e tenho que cocinhar para doze pessoas... :S Que farei?...

(Hoje nom há ligaçons, estou canso de mais... vou durmiiiiir...)
 
segunda-feira, janeiro 16, 2006
  E o FUSE dixo.... Acende o candil!

O FUSE (Far Ultraviolet Spectroscopic Explorer) atopa umha nova via para explicares a origem da luz no Universo.








(E dentro de pouco nom poderemos desfrutar da luz das estrelas numha praia da terrinha..)
 
  A teoria holográfica (Segunda!)

Onte deixamos o tema da teoria holográfica prometendo falar dos espaços e das fronteiras...

Tudos (ainda os coitadinhos que escolherom letras ;) ) estudamos a geometria de Euclides. Nela cumprem-se os axiomas eclidianos vem conhecidos: As linhas rectas paralelas cruzam-se no infinito...

A Física Clássica (a de Newton) trabalha com umha geometria euclidea, que ademais é aquela que achamos, intiuitivamente, mais "natural". A Física Relativista emprega umha geometria nom euclidea, a do Continium de espaço-tempo de Minkowski, onde e comprensivel a curvatura produzida por a gravidade. Como quero fazer isto divulgativo nom entrarei no miudo destes u espaços, que da-vos para muito. Como vimos as teorias Quântica e Classica (Pois a Relatividade e continuista coa de Newton neste tema) nom se explican mutuamente, isto é, nom se pode deduzir umha da outra . Mais a Teoria de Cordas produziu umha teoria coerente da gravidade que pode dar conta dos fenómenos quânticos, pero para um tipo de espaço de curvatura negativa...

E que é todo isto da curvatura (positiva ou negativa)dos espaços? Coma nom quero meter-me em temas de Geometria Diferençal (fartinho quedei...) contarei coa vossa imaginaçom. Tudos podemos pensar numha bola, umha esfera, onde há debuxada umha figura, por ejemplo os continentes do mundo. As figuras "vivem" num espaço com curvatura positiva. Quando os passamos à geometria plana, a umha folha de papel, sempre ocorrem deformaçons (Como nos mapas de Mercator). Na esfera podemos debuxar duas rectas que semelham paralelas, pero quando as transformemos cara a folha atoparemos que divergem!. Os dous espaços tenhem axiomas e curvaturas nom congruentes. A esfera é um espaço curva, com curvatura constante positiva. Um ovo tambem tem curvatura positiva pero nom é cte, maior na ponta e menor na base.

Mais... como é um espaço com curvatura negativa. Mois mais ou menos assim:

(Blogger nom trabalha bem co .png, asim que aquí tedes: # )

Isto é um espaço hiperbólico, que tem umhas propiedades que fam pensar no predito na teoria holografica. Baixai um chisco a fiestra do navegador e mirade o debuxo de Escher (Este, larchans ;)...): Isso que estades a ver e a representaçom dum espaço hiperbólico num plano euclidiano. Originalmente tudos os peixes som igoais, mais quando tentamos representa-los na folha sufrem umha deformaçom. Vam-se pertando cara a fronteira do debuxo ate que há milheiros de figuras justo na linha. Ate o de agora imos vem? Dacordo.

Bem! Agora compre engadir umha dimensom mais em tudo isto: O tempo. O espaço de Minkowski trabalha com ele, de jeito que é útil para a soluçom matematica da Relatividade. Um sub-espaço (um com propiedades mais concretas) do de Minkowski é o de De Sitter (Por o matemático holandês William de Sitter, ademais um dos primeiros em falares da "Matéria Escura" No século XIX!!!), que tem umha curvatura sempre positiva. O espaço-tempos de curvatura sempre negativa chamam-se entom de Anti-de Sitter...

Pero continuaremos manhá, que agora toca comeres!

(Nota: Tento ser tudo divulgativo que sei! Perdoade, e se algo nom entendedes preguntade!!)
(Nota dous: Ninguem achou a brincadeira no anterior.... ;) )
 
domingo, janeiro 15, 2006
  Pó de estrelas...

Já chegou o Stardust. Agora toca-lhe aos cientificos trabalhar coa colheita dos ceos que recolheu o genio humano...
 
  A teoria holografica (Primeira!)

Esta é umha ilustraçom Maurits Cornelis Escher da serie "Circle Limit" que empregam num artigo da Investigación y Ciencia para expressares a ideia do universo que tem a teoria holografica. Escher debuxa um espaço hiperbólico (que tem umha curvatura constante e negativa) que experimenta umha deformaçom ao ser representado em duas dimensos ordinarias.

E que é tudo isto da Teoria Holografica diredes? Vejamos... Segundo a teoria física mais extendida o espaço tem quatro dimensos (três espaciais e o tempo). A Teoria das Cordas (# # # , tamem chamada "Teoria-M") engade mais e mais dimensos , "pequenas" de mais para que trascendam à nossa percepçom, onde as cordas da teoria relacionan-se a outros niveis. Neste espaço Q-D duas teorias (umha clássica e outra quântica) trabalham com dous conceptos opostos da natureça deste espaço: Para a Teoria Quântica o espaço e nom-definido ao mínimo nivel. Nom há posiçons ou velocidades definidas, só probabilidade e ondas. Se puideramos achegar-nos ate o nivel do vacio entre as partículas topariamos cumha "escuma de espaço" sem definir. Por contra a Teoria da Relatividade e totalmente clássica neste tema: o espaço é liso e perfeitamente definido, por moi perto que o o miremos a sua natureça sera a mesma.

Entre estas duas teorias poden-se explicar a meirande parte dos fenómenos físicos. A Teoria da Relatividade da-nos umha descripçom justa e completa do comportamento dos corpos baijo o efeito da Gravidade, coa ideia de que a massa dos corpos curva o espaço q-d. A Teoria Quântica trabalha coas interacçons das partículas e as energias. Pena é que nom se solapam, a curvatura do espaço da Relatividade nom e compativel coa escuma quântica e a gravidade nom casa com as particulas da outra. Umha das maiores espranças dos físicos é a creaçom dumha "Teoria quântica da gravidade" que poida amosar umha imagem completa do Universo. A realidade é que no tempo do cosmos no que habitamos a meirande parte das vezes um pode-se esquencer dumha das duas Teorias, ou aproximar, e trabalhar coa outra. Non há massas grandes davondo para curvar o espaço de jeito que poida ter verdadeira influença quântica. Só um burato negro é quem de fazelo no estadio actual do universo. Suponse também que nos primeiros nanosegundos depois do Bing Bang os efeitos quânticos da gravidade forom fundamentais para definires o que agora existe. Por desgraça os físicos levam décadas a trabalhar nisso e a cousa vai moi paseninho...

Mais segundo Gerardus't Hooft e Leonard Susskind um achegamento distinto à natureça das dimensos espaciais pode abrires um novo caminho cara umha unificaçom das teorias. Dito rapido ( e mal): O número de dimensos é algo subjetivo (nom no psicológico! Isto nom é filosofia!) que depende de como as tratemos. O espaço pode ter três dimensos e mais a força da gravidade, coas suas relaçons, ou bem pode avondar com duas que dam a ideia de seres mais. E semelhante aos hologramas (dos que colhem o nome): Umha imagem bi-dimensioal que tornase em 3-D baijo a luz ajeitada. Tuda a informaçom do volume esta contida em 2-D, pero podemos interpreta-la como se tivese três. E o universo secadra nom é moi diferente...

Isto, que pode parecer outra mais das "teorias bonitas pero que nom servem de nada", pode ter moita utilidade. Calculos ou teorias que som moi complicados, ou imposiveis, numha geometria 3/4-D podem-se trabalhar nesse espaço de duas dimensos. Se atopásemos umha relaçom directa entre as teorias criadas na fronteira holografica e o interior do universo poderiamos levar o nosso trabalho aos 3-D, do mesmo jeito que a imagem dum holograma toma volume.

Para isso temos que afondar no nosso conhecemento dos tipos de espaços e das suas fronteiras...

(Secadra manhá mais...)

 
sábado, janeiro 14, 2006
  Musica para estudar...
Depois de decodificar as intrucçons do meu novo reprodutor de mp3 (Si, vaaale... moi mal por empregar .mp3, que nom é ceive, que para isso temos o .ogg... ) tentei fazer umha escolha de musica para escoitares mentres estudo. Clássicos nos meus arquivos: Dream Theater (Tendo senso e botando fora algumhas que fam-me dano...), muitas cousas de John Lord - sorprende-me a quantidade de cousas deste home que me gostan: Deep Purple, os seus projectos (Beyond de Notes...)só, Whitesnake, etcetera - e algúns mais. O que engadim nesta tempada de exames é Gary Moore moi, moi, moi recomendavel. Eu chegei a ele depois de escoitar a versom que fijo Nightwish do tema "Over the hills and far away" (Nom cançom co mesmo nome de Led Zeppelin...) e a verdade é que paga a pena escoita-lo.

E agora vós (se há alguem...) que recomendades nestas datas na que non se fai outra cousa que estudar?
 
  Lambe-cus...
In-crí-vel...

Levo um quarto de hora fitando pampo no telejornal (A3, depois de veres os Simpson)...quinze minutos esbardalhando do baptismo de "Doña Leonor de Todos los Santos de Borbon y Ortiz"... di-lhe vinte mentres escrevo isto: Que se a auga é do rio Jordam ( bem pagadinha por tudos nós...), que se a pia e de prata e mármore branco de Santo Domingo de Guzman, que se o fijo o arcebispo Rouco, que se os padrinhos forom os reis.... Arg! A nai cos pariu! Lambe-cus! Servos!. Umha escolha do dito:

-"La Infanta Leonor aguantó estoicamente la sesión de fotos"
-"El agua no perturbó el gesto impasible de la infanta"
-"La princesa Leticia demostró una gran habilidad en el besamanos, al lidiar la situación con una sola mano, mientras sostenía con la otra a la infanta"
-"La reina vistió un vestido muy Jackie Kennedy"

E depois dalgumhas notícias mais, voltam conetar coa Zarzuela para dizer que agora estam numha recepçom... e repetir a mesma reportagem.... in-crí-vel...

E que já nom sei que é pior: A louva servil dos "jornalistas", os ritos atávicos nos que o jefe (queiramos ou nom) deste estado somete-se à Igreja Católica, o gasto que fai a "Casa de el-Rei"-cos nossos quartos- em parvadas próprias de tempos feudais -ainda que a Monarquia nom
deija de ser o mesmo...-...

E em tudas as canles o mesmo:
Telecinco
Antena 3
Cuatro (Bom, vaaaale, Polanco pom antes o de Batasuna)
TVE (Esta a pagamos tudos....)

 
sexta-feira, janeiro 13, 2006
  As maravilhas da traduçom...
Mercei hoje um reproductor de mp3 e, cousa rara a verdade, lim as instruçons.... Atençom ao seguinte...

15. Navegación
Utilice UNA B/el boton de Menú para entrar Menú.
15.1 Escoja la Navegación y apriete UNA B/el boton y apriete UNA B/el boton de Menú para entrar el modo de la navegación.
15.2 La prensa se Salta los botones para escoger Disco Rápido y apretar UNA B/ el botón de Menú, escoger Entrar y aprieta UNA B/el botón de Menú para llegara submenu.
15.3 La prensa se Salta los botones para escoger un botón de poner del archivo o la carpeta y el uso para jugar la música o entrar la carpeta
15.4 Escoja el icono de Espalda al principio fila en el Menú de la Navegación y apriete UNA B/el botón de Menú a hacia atras el nivel superior

Palavra que isto é o que pom...

(Hum, mudei o tema da blogue... gosta-me mais...)
 
quinta-feira, janeiro 12, 2006
  Malhadinho...
Tinha ganas de escrever algo sobre um artigo da Investigacion y Ciencia sobre a teoría holografica. Vem sendo um novo jeito de expressar o espaço quatro-dimensional coma as interacçons entre partículas e campos es espaços de menos dimensons. Suprime-se umha das dimensons do espaço e trabalhase com umha nova geometria holográfica... Outro dia fago-vos um resume e falo um pouco doutros artigos sobre o tema, mais agora estou malhado de estudar. E melhor que descanse e deixe a sessom nocturna de hoje.
E nom sei a que vem estar feito merda a estas alturas, que ainda nom lhe dim canha à cabeça, e sorte que descansei em Tai-Chi. Secadra saber que tenho exames ate o 17 de Março (Óptica... brrr....) e que o mais provavel é que nom poida fazer a viagem (coma um lôstrego...) a Coimbra por mor dum exame baixou-me a moral...
:_(

O universo pode ter só duas dimensons, pero a mim segue-me a parezer complicado de mais. Alomenos no que aos sentimentos é....
 
  E seguimos co exercito...
Seica que os militares colherom-lhe gosto a isto de ser protagonistas dos jornais e nom querem deijar passar umha...
Ainda que neste caso é o Ministerio (na mau do seu sub-secretario) quem começou. Segundo informa El Mundo, o Ministerio de Defensa deu a ordem aos militares de que falem só castelam mentres esteam de serviço. Sem importares onde se atopem no "territorio nacional"...

(E de volta à biblioteca, coma un neno bom....)

(Hum! Estou a usares o Tiger como SO na partiçom do ibook e da problemas co blogger...)
 
quarta-feira, janeiro 11, 2006
  Apatrullando la ciudad....
Hoje ao sair da biblioteca (onde passo os meus dias a estudar coma um neno bo ;) ) topei-me com umha imagem que me fijo pensar. Almorçando escoitara a nova de que Tony Blair queria levar adiante (ou já aprovaram na Inglaterra, que às nove nom che vos estou moi esperto) umha lei "contra o gamberrismo". Isto é, umha reforma legislativa que permitise aos policias imponher multas e sançons a quenes amossem "actitudes pouco cívicas" p.e.: fazer graffitis, cuspir na rua (ou em riba dumha velha, como diziam nalgumha canle de TV...), fagam moito balbordo ou berrem por a noite. Todo isto sem intervir a justiça, como umha de trafico.... . Já me diredes, a "Terceira Via" a fazer recorte de liberdades civís, outorgando (mais) capacidade repressiva às "Forças da Orde". Lembra-me demasiado a estas leis franquistas de "saude e orde pública"... Se a isso sumamos os novos destaques nas escolas para vigiares a merca miuda de droga (Cousa que podia-se amalhar como fam algúns concelhos em Italia: Ponhendo aos jubilados a dares voltas aos centros para intmidares... e já tes aos velhos ocupados!!)... a ampliaçom dos corpos locais e a criaçom dum futuro corpo autonómico... E que o mesmo está a aconteceres em outros estados europeios...

Todo isto vem a conto de que hoje, ao saires da Biblioteca (onde passo o dia coma um neno bo...) e ao baijar cara casa topei com um quadro dos de chorar: Num passo de peóns umha mulher agardaba, mentres os estudantes cruzavam ao seu carom. Ao chegares a sua altura decatei-me de que era cega. Ferveu-me o sangue ao ver que pouco fai a gente por os demais, pero o que já era incrivel e que um policia local ("Vagalumes" como os chama meu pai...) ficava de braços cruzados mirando às moscas justo diante dela. Nem dirigia o trafico, nem fazia rem, secadra contava as tesselas da rua...

Ajudei à mulher a cruzares e marchei cara casa. Depois comentei cos compadres do piso e lembrei-me do de Inglaterra... ou do destaque no farrado d'A Corunha... Assim! A gastar os meus quartos rapazes!

Ains... e agora outra vez à biblioteca...

(Nota: O Estraviz nom tira... assim que nom sei quantas faltas terei... ;) )
 
domingo, janeiro 08, 2006
  Um pensamento...
Já, já. Isto melhor ia no post anterior, pero lim algúns comentarios por a rede que me figerom pensar. Colhim a ediçom da constituçom espanhola que tenho na casa. Sorprendentemente topei que é umha versom do castelam ao romanó-kaló -a lingua do povo cigano, um pouco raro na minha casa, digo eu, umha traducçom ao hebreo ainda (por a minha avoa)... Meu pai nom é quem de lembrar onde o mercou ou lho derom... mistério...

Vá! Pois isso, repassei o devandito artigo:
Artigo 8.
1.As Forças Armadas, constitudias por o Ejercito da Terra, A Armada e o Ejercito do Ar, tenhem como missom garantir a soberanía e independência de Espanha, defender a sua integridada territoria e o ordenamento constitucional.

E digo eu... Ate que ponto é respeitavel, ou defendível moralmente, umha lei que entrega a sua propia defensa ás armas?
 
  Começamos!
Nove de Janeiro... começa outra tempada de exames...
Dous meses de trabalho duro, agardando que dea rentas...
O mais provável é que nom sea quem de passar por eiquí moito... agarda-me umhas looooongas noites de biblioteca...
Imos aló!
 
sexta-feira, janeiro 06, 2006
  Jarhead e artigo 8
Hoje fum ver umha peli curiosa: "Jarhead" (Cabeça jarra, cabeça bote; um alcume para os marines do ejercito americano). Ainda que nom é de todo original, como tantas outras histórias bélicas, tem o seu ponto. É um achegamento distinto ao adoutrinamento e o adozenamento dos militares. O que passa é que a mim costame empatiçar com as personages desse tipo e sempre remato por pensar: "Como podem ser tam paaaaarvos?, Como som quenes de perder toda a sua humanidade e comportarse coma anhos?". Por mais ejemplos que vejo dia sim e dia tamem nom me afago. E hoje ao chegares á casa topei com um novo: "El general jefe del Ejercito de Tierra, Teniente Genera Mena Aguado". Com perlinhas coma estas...

-"Es nuestra obligación alertar de las graves consecuencias que plantearía la aprobación del actual Estatuto de Cataluña"

-"El hecho de que sea exigible el conocimiento de una lengua es una aspiración desmesurada"

-"Si los límites que marca la Constitución son rebasados por un Estatuto sería de aplicación la intervención del Ejército"

E o PP sempre a tempo, para plantar o de que as declaraçons de este infraser com galóns som :"el reflejo de la situación que estamos viviendo". Manda colhóns! A nai que os pariu! (Que a única culpa que tem e nom ter cruçado as pernas no parto...)

Ate quando imos aturar a esta gentalha? A estos militares que ameaçam dia si e dia tamem com atacar-nos por nom pensares como eles? Ate quando "La Constitución Española" (Que nos hemos dado entre todos...) vai entregar a "defensa" da seu egoismo a esta grei de assassinos e psicópatas com armas? Ate quando estas vergonhenta congregaçom de feigistas vai-nos ter no seu ponto de mira?

Merda de militares.
Merda de Espanha.
Merda de mundo.
 
  Conversa num bus
Isto escoitei-no antonte, e quería comenta-lo pois acho que é dessas cousas "paradigmaticas" que cando topas com elas nom das credo...

A cousa é que topaba-me eu no bus 22, de volta logo de jogar a partida de Aquelarre, perdido nos meus pensamentos. Nom acostumo ouvir nem espreitar as conversas dos demais, mais duas mulheres maiores preto de mim falabam dos seus filhos e empregarom um vocativo co que a gente adoita chamar-me, e por um segundo atendim ao que laticabam. Melhor tinha feito calquer outra cousa!....

----------------------
>Ay! ¿Y entonces tus hijos dónde están?
-Pues en la aldea, con los abuelos. Vamos mañana buscarlos. (sic)
>¡Ah! Con los abuelos. Que bien.
-Si, es que mis niños te quieren (sic) mucho a sus abuelos, mira tú. Y por unos que les quedan.
>Di que sí, di que sí. Pero seguro que se aburren mucho en la aldea.
-¡Oh no te creas! Si se lo pasan muy bien. El pequeño sobretodo, que le encanta.
>¡Ay! Pues eso está muy bien. Que los niños de hoy no saben como nosotras lo que es la vida de aldea.
-Hay, yo tampoco, que yo soy de aquí de La Coruña de toda la vida (...)
(Interrompo: Isto é literal. Palavrinha de neno bo! A mesma "señora" que tem os pais "en la aldea" di que é "Coruñesa de toda la vida", paradigmal, já digem...)
(...) Pero mira por mi bien. Mientras no me vengan hablando gallego.
>¡Ay chica, te entiendo! Pero algo se les termina pegando ¿No?
-No si yo no tengo nada contra el gallego. Que es la lengua de mis padres. Pero ya les dije a mi madre el otro día que no les hablen asi (sic), que hay que estar en el mundo....
----------------------
(Repito, palavrinha de neno bo, ainda que os reis magos nom pensem o mesmo, isto é verbatim o que digerom...)

E eu já nom sabia se rir ou chorar. Ao cheares á minha parada virei a vista e puidem olhar as duas mulheres, e vamos: bu neno que movida... um quadro costumbrista de dous abrigos de pele e moita pintura... Quero voltar a Santiago já! Que há menos perigo de topar com estas "cousas"....
 
quinta-feira, janeiro 05, 2006
  Cousas



Cousas que compre fazer, cousas que quero fazer, cousas que nom quero fazer, cousas que ainda nom figem, cousas que farei ou que nom farei nunca, cousas, cousas e mais cousas...
 
terça-feira, janeiro 03, 2006
  Mistério do IPC...
Onte fum ver umha peli cos meus curmáns pequenos. Umha dysneilada que melhor nom perdo tempo a falares dela. Os pequechos pasárono bem, eso abonda-me, mais houbo unha cousa que vim antes de entrares sorprendeu-me tanto que compre que a comente...

Nom sei se vos lembrades dum jogo de arcade chamado "Puzzle Bubble", agora é normal topalo nestos packs de jogos para o ordenador. Vai de juntar bolas da mesma cor que disparam un bechos semelhantes a reptis.... si, deseguro lembrade-vos del. Meu irmam e mais eu acostumávamos ir jogar a umhas recreativas os domingos pela manhancinha, e nosso pai daba-nos duas moedas de vinte pesos e tinhamos para oito partidas bem longas. Lembro-me bem do chintófano da máquina e do cartelinho: "25 pesetas-> Una partida" em vermelho sobre a fecha de meter as moedas. Ainda estabam em circulaçom as moedas coa face do Franco e algumhas coa do Borbom... . Facendo contas falo-vos do ano 1994, e dizer, fai onze anos. Éche pouco... creo eu.

Conto todo isto para que tenhades umha ideia do que pensei quando vim que esse mesme jogo, umha partida, pediam... UM EURO!

O_O

Bem, figem contas no momento e iso vem sendo 6 partidas das de antes... e tanto non subiu o IPC! O cartelinho era igoal: "1 Euro->Una partida", e ainda albiscávase em baixo o antigo (o de 5 pesos). Ao chegar á casa figem umha comprovaçom, na página do "Instituto Nacional (sic) de Estadística" (INC). Segundo esta página 5 pesos de 1994 venhem sendo 0,20 ouros dagora. Como nom me fio do ano tirei ainda mais atrás: 1988 (ano no que se deu a orde de retirar as pesetas coa cara do anano ferrolam): 0,30 €. E se cremos que non houbo "euroredondeo" (Agora que estamos no aniversario da "moeda única")... eiquí há moito mistério...
 
domingo, janeiro 01, 2006
  Um de janeiro...

Hoje erguim-me cedo. Raro num um de janeiro, mais sempre é melhor dar-lhe trabalho á cabeça erguido que na cama. Asomei á janela do escritório e fiquei um bo cacho a mirar orbaiar miudinho. Abaijo tinha o parque onde jogaba de neno e quigem-lhe tirar umha foto. Há quem di que nom é bom começar o ano lembrando cousas do que se vai, ou ainda pior, de fai moito e seica tem raçom.

Há moitas cousas que figem mal este ano que rematou, mais já nom som quem de fazer rem. Arrepinto-me de nom decatar-me antes dos meus sentimentos, por ejemplo, ou de nom ter actuado para acadar o que tanto devezo agora. Fum-che moi parvo se poidera arranjares e volver cara atrás no tempo mudaría o que figem sem duvida. ¡Mais agora já nom há volta! Compre sorrir e começar o ano bem, esquecendo e vivindo.
 
"Si eu fixen tal mundo, que o demo me leve" Era o que dicía o deus de Curros Enriquez em "Mirand'o Chau". E pouco mais se pode dizer sobre o que acontece no mundo...

A minha fotografia
Nome:
Localização: Santiago de Compostela, Galiza









Image Hosted by ImageShack.us Apoiamos a Isaac Díaz Pardo


Image Hosted by ImageShack.us Get legal. Get OpenOffice.org

Arquivos
Agosto 2005 / Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 /


Chuza news

As minhas chuzadas

Arte e desenho
Qui n'a pas appris à dire « elle et aucune autre » sait-il ce que c'est que l'amour ?Vincent van Gogh
  • Gatonegro
  • devianART
  • Aduaneiros sem fronteiras

  • Lingua, política e informaçom
    "O verdadeiro heroísmo consiste em trocar os anceios en realidades, as ideias em feito"-Castelao
  • VA-CA
  • AGAL
  • Arredemo!
  • Chuza!
  • Vieiros
  • Ediciós A RotondaEditora galega de livre distribuçom
  • Galicia Encantada

  • Ciência, Tecnologia e Sofware Ceive
    "The most exciting phrase to hear in science, the one that heralds new discoveries, is not 'Eureka!', but 'That's funny …"Isaac Asimov
  • Science A revista com maior contido em
  • SETI@home Um jeito de colaborares coa ciência dende casa
  • O GLUG Asociación de Usuarios de Linux de Galiza
  • Creative CommonsUm piar do "copi-ceive"
  • GNU Project O pai de tudo isto...

  • Ateismo, apostasia, sociedade laica e escepticismo
    "Je n'ai pas eu besoin de cette hypothèse" Pierre-Simon Laplace
  • James Randi Educational fundation
  • Sin Dioses
  • Concordato
  • Diario Ateista
  • Círculo Esceptico

  • Jogos de rol e em rede
  • Biblioteca de Cartago
  • O Tempo do CometaO projecto do amigo Gatonegro
  • As Crónicas de Gaidil Um futuro jogo galego. ogalha!
  • Ogame
  • Bite Fight

  • Blogues varios
  • Blogaliza Galego na rede!
  • Abril e revolução
  • Aranheira
  • A Regueifa
  • As tuas balas
  • A picara de Allegue
  • Cabaseria web
  • Carolate's Playground
  • Beliscos pequenos
  • Bretemas
  • Boedense
  • Carolate's Playground
  • Cinema Friki
  • decatroacatro
  • Dor na retina
  • Emerecindo
  • Estrela negra
  • Eueoseeuu
  • Facendome o sueco
  • Galego de seu
  • Intifada Gaiteira
  • Madeleine no espello
  • Nemeth
  • Lucensismo e outros males
  • Post Scriptum
  • Renas e veados
  • Sabela
  • Noite Subsahariana
  • Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

    www.flickr.com
    Tawil Al Umr's photos More of Tawil Al Umr's photos
    Que disfarce levarias ao cristo que imos montar para a Apostasia?
    Cavaleiro de Santiago, e mestre taberneiro
    Monja/Monge que descobreu a vida pecadora
    Supernumerario superposto...
    Peregrino religioso/cultural
    Outro!

    Ver resultados
    Ver comentarios
    Sondeos ??.com
    Image Hosted by ImageShack.us free hit counter javascript
    As minhas estatísticas...

    Neko


    Powered by Blogger
    Creative Commons License
    Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
    Assinar com Bloglines